quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Audição original


Olhares e palavras não foram feitos para serem usados no mesmo instante.
Olho para ti e não ouço nada. Diz-me algo e eu viro meus olhos para outra direção.
Como senti sua falta hoje...
Queria ter lhe sussurrando em meus ouvidos as mesmas palavras e melodias de sempre.
Como é bom estar só e acompanhada de ti.

As pessoas e os sons me fazer sentir pavor.
Como eu senti falta de meus fones de ouvidos hoje,
Como senti falta do sublime som de um pássaro também.
Andei por ai, perdida, ouvindo sons de carros e vozes
Deparada com rostos tristes e cansados,
Exaustos da rotina; tédio foi o que encontrei.

Foi o que eu tive hoje, um dia exausto.
Tédio? Não, isso não.
Tédio seria uma palavra inexistente em meu vocabulário,
Eu rio de mim mesma a cada instante
“Broto, tu desceu um ponto de ônibus antes, terá que caminhar cinco quadras a mais, querida”

Pensamentos estranhos criam forma em minha face.
Prefiro olhar pela janela.
O que decidi hoje não fará muito sentido amanhã.
O que escrevo hoje também não faz muito sentido.
Sou tão inconstante e confusa.
Hoje odeio você e amo isso.

Espero te encontrar e não posso te beijar,
Espero te abraçar e não quero mais te ver.
Queria poder abaixar seu volume ou voltar naquela faixa onde tudo começou,
Então abro a carteira e encontro uma solução
Estava faltando algo em meu ouvido: comprei fones novos!

3 comentários:

caroledi_ disse...

é dificil entende que a cortinha deve ser puxada DEPOIS do celsão !!

Mas que nada caminhar faz bem ^^

Alan Willms disse...

obrigado.. tbm gostei do seu... love crisis?

disse...

belo titulo!!